Grupo Operacional Estratégias de proteção fitossanitária para a produção sustentável da maçã - Estratégia Fito-Maçã

Loading
a carregar...

Grupo Operacional Estratégias de proteção fitossanitária para a produção sustentável da maçã - Estratégia Fito-Maçã

15 Fev, 2019
Grupos Operacionais

Porquê este projeto?

A produção de maçã nos concelhos de Armamar, Carrazeda de Ansiães, Moimenta da Beira e Lamego tem uma importância fundamental na sustentabilidade da economia da região. A área de produção é cerca de 3.500 ha. Todavia a fileira e particularmente os agricultores deparam-se com o aumento crescente dos preços dos fatores de produção e com a estagnação dos preços da maçã. Torna-se, por isso, imprescindível reduzir custos para que a atividade produtiva se mantenha e mesmo aumente. A falta de estratégias de proteção fitossanitária para a produção sustentável da maçã é um entrave tremendo para a rentabilidade dos agricultores. É também imprescindível para uma gestão mais racional da cultura um conhecimento rigoroso e atempado das condições meteorológicas o que não acontece nesta região/cultura pois não existe cobertura por parte do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

 

O que se pretende?

O objetivo principal é a identificação e monitorização das principais pragas e doenças bem como dos auxiliares presentes e aferição do nível económico de ataque para as principais doenças e pragas da macieira, na região, visando reduzir o número de aplicações de produtos fitofarmacêuticos e privilegiar as práticas e métodos de prevenção alternativos mantendo elevados padrões de qualidade, boas características organoléticas, boa conservação e baixos níveis de resíduos de produtos fitofarmacêuticos nos frutos e preservação e fomento da fauna auxiliar.

 

Quem beneficiará?

Os beneficiários mais diretos serão os associados da Associação de Fruticultores de Armamar, da Associação dos Fruticultores e Viticultores do Planalto de Ansiães, da Cooperativa Agrícola do Concelho de Armamar, da Associação de Beneficiários do Perímetro de Rega do Temilobos e dos Organismos de Investigação parceiros no projeto.

Os beneficiários principais e utilizadores dos conhecimentos a adquirir (produtores, associações de produtores, cooperativas, empresas, etc.), ao envolverem-se em todos as tarefas previstas, ao acompanharem os trabalhos desenvolvidos nos campos de ensaio/demonstração e ao contribuírem para o desenvolvimento da “Iniciativa” garantem a adoção destas novas tecnologias a médio prazo. O envolvimento de todos os parceiros (OA, OI e Produtores), nas diferentes atividades, a instalação de campos de ensaio e a realização de ações de divulgação junto do público-alvo são decisivos na incorporação dos resultados pelos beneficiários principais. Acrescenta-se que esta “Iniciativa” pretende ainda contribuir para uma mais eficaz transferência, de conhecimento e soluções, por parte dos OI’s e de problemas sentidos, por parte das OA e produtores, facilitando o seu relacionamento em iniciativas futuras. Beneficia ainda a sociedade em geral através da implementação de práticas culturais orientadas para uma utilização mais sustentável dos recursos salvaguardando a manutenção da biodiversidade, da paisagem e do ambiente de uma maneira geral, bem como, a comunidade científica nacional e internacional ao divulgar dados multidisciplinares de culturas de importância global e a fileira frutícola ao obter um produto final de qualidade com menores resíduos de fitofármacos, assim como menos custos de produção.

 

Quem participa?

 PARCEIROS:

 ASSOCIAÇÃO DE FRUTICULTORES DO CONCELHO DE ARMAMAR

COOPERATIVA AGRÍCOLA DO CONCELHO DE ARMAMAR

UNIVERSIDADE DE TRÁS OS MONTES E ALTO DOURO

INSTITUTO POLITECNICO DE BRAGANÇA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO

AFUVOPA- ASSOCIAÇÃO DE FRUTI. VITI. E OLIVI. DO PLANALTO DE ANSIÃES

EUCLIDES ACACIO CORREIA

FRUTAS MARTA & SILVA, LDA

GOUVEIA E FONSECA LDA

MALUS BEIRÃ - SOC. PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE FRUTAS BEIRA ALTA LDA

ASSOCIAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO PERÍMETRO DE REGA DO TEMILOBOS

LUIS ANTONIO VEIGA

FRUTAS PLANALTO LDA

 

 Quais os resultados esperados?

Elaboração de Manual Técnico com a identificação dos principais inimigos da cultura e fauna auxiliar e os níveis económicos de ataque mais adequados à região:

-aferição/validação dos níveis económicos de ataque para as pragas da macieira, em estudo, para a região;

Publicação nos sites das organizações de agricultores:

-sintomas de doenças, das pragas e respetivos auxiliares nas várias fases da sua expressão/desenvolvimento;

Redução e racionalização do número de tratamentos químicos efetuados;

Definição de medidas de luta alternativas à luta química testando novas técnicas culturais de prevenção e meios de luta biotécnicos.

O projeto pretende diminuir o número de tratamentos fitossanitários e procurar localmente alternativas à luta química.

 

 Como é financiado?

Este projeto é financiado no âmbito do PDR2020 (Programa de Desenvolvimento Rural (2014-2020), Área 1 – Inovação e Conhecimento, Medida 1 – Inovação, Ação 1.1 – Grupos Operacionais.

O Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) é um instrumento político e um mecanismo de financiamento utilizado pelos Estados-Membros para implementar as políticas de desenvolvimento rural da UE, num território específico. O PDR2020 tem como objetivo apoiar o investimento em explorações agrícolas e florestais, em empresas agroindustriais e na instalação de jovens agricultores, potenciado as condições para aumentar a competitividade.

O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER) é o principal instrumento de financiamento para a implementação do 2º pilar da Política Agrícola Comum, sendo o instrumento financeiro da União Europeia, destinado aos Estados-Membros, para alcançar diversos objetivos europeus de política de desenvolvimento rural, tais como melhorar a competitividade das empresas agrícolas, florestais e agroalimentares, ajudar a proteger a natureza e o ambiente, apoiar as economias rurais e melhorar a qualidade de vida nas zonas rurais. O FEADER financia também estratégias de desenvolvimento local e ações de assistência técnica (projetos do tipo "Leader") e contribui para a realização da Estratégia Europa 2020 através da promoção do desenvolvimento rural sustentável em toda a União, em complementaridade com os outros instrumentos da política agrícola comum, da política de coesão e da política comum das pescas.

 

Boletins informativos

 

Entidade coordenadora

ASSOCIAÇÃO DE FRUTICULTORES DO CONCELHO DE ARMAMAR

Av. 8 de Setembro, Mercado Municipal,

5110-121 Armamar